Acompanhamento prático Neotriad = mudança de hábitos.

Durante todo o ano passado, tenho feito o acompanhamento prático do Neotriad com diversas iniciantes da metodologia da Triad.

Quando imaginei este acompanhamento, quis fazê-lo o mais simples possível!  O mais informal possível pra que não ficasse massante ou distante, já que faço ele quase que completamente por e-mail, e reuniões online. O Objetivo era ensinar os primeiros passos para aqueles que precisavam botar  um pouco de ordem na sua vida profissional, ou até, pessoal.

Neste tempo, notei que um padrão se repete:

  1. Começo – euforia.
  2. 1º mês – dificuldades de adaptação (normal).
  3. 2º mês – uma dificuldade de ver razão em persistir, em acreditar no resultado.
  4. 3º mês – desistência.

Claro que o processo é diferente pra cada pessoa, afinal todos tem suas particularidades, problemas específicos, acúmulo de tarefas, etc.

Neste ponto é que minha ajuda alcança seu limite. Não posso, usando este tipo de acompanhamento, ficar ao lado do aluno, dizendo o que ele tem que fazer. É preciso ter “força de vontade” pra persistir e acreditar que é possível mudar alguns hábitos, em prol de um resultado melhor.

Quando percebi isso, mudei a abordagem simplificando um pouco mais o processo, começando com UMA coisa de cada vez, e personalizando ao máximo o atendimento. Escolhi objetivos mais simples, e fáceis de serem alcançados para que alguns resultado surgisse, e continuasse motivando o aluno a continuar.

Todos conhecem aquela máxima que diz que se você quer resultados diferentes, tem que fazer as coisas de maneira diferente. Fácil dizer, difícil de fazer.

Quando li O Poder do Hábito, me dei conta que o que faltava para isso funcionar, era alterar a recompensa. Quando vocês lerem o livro, verão que qualquer hábito e formato por uma tríade (que coincidência…):

Deixa – Rotina – Recompensa

Quando recebemos uma deixa, entramos automaticamente na rotina (execução), com o objetivo de chegar na recompensa (mental, física, emocional ou espiritual).

Exemplo: Quando temos que fazer uma tarefa grande e chata (deixa), procrastinamos ao máximo (rotina), para que o dia acabe, e possamos ir embora, ou botar a culpa pela não-execução em alguém, assim nos livrarmos da tarefa (recompensa = alívio mental)

Este é como eu vejo o  Loop do  hábito da procrastinação

Você faz isso?

O livro diz que mudando a rotina, ou  a recompensa, podemos modificar o hábito (de procrastinar a tarefa chata).

No caso do padrão que percebi nos acompanhamentos, a deixa era diminuir a angústia de não ter tempo pra nada. A rotina era mudar a maneira de tratar suas tarefas e compromissos e a recompensa era uma vida mais equilibrada.

Mas aos poucos, o cérebro, volta à uma rotina pré-estabelecia, e que dá menos trabalho, que é procrastinar, deixar pra depois, empurrar com a barriga, porque a recompensa chega mais rápido; se livrar da tarefa chata, e ter a sensação de alívio.

Me corrijam se eu estiver errado!

Abraço,

Gérson.

Participe da pesquisa Procrastinação.

Boa noite,

Não perca esta oportunidade de participar da pesquisa sobre procrastinação, feita pelo Christian. Os resultados das pesquisas são sempre interessantes e nos levam a aprender mais sobre o comportamento geral.

Não procrastine, faça a pesquisa agora. Vai levar só dois minutos.

Pesquisa

Abraços,

Gérson