Usando a Neurolinguística a seu favor!

Veja como eu usei um truque da programação neurolinguística para mudar um hábito antigo gravado na minha memória.

Esse assunto é bem interessante, Neurolinguística!

Ela mostra como nossa mente funciona, e como podemos manipulá-la para que tenhamos hábitos melhores, através de pequenos truques!

No início achei que fosse algo do tipo “Engane a si mesmo”, mas não é. Nossa mente é uma ferramenta poderosa que é mal usada. Então resolvi fazer um teste em uma área muito difícil. Emagrecer.

No livro que li “Poder sem Limites” do Anthony Robbins, descobri que eu gravo coisas de maneira visual. Tenho que olhar e VER para gravar e aprender. (Por isso gosto de fazer a minha programação do ano desenhando barras coloridas no papel. Veja o post). Outas pessoas aprendem as coisas de maneira auditiva, outras ainda de maneira cinestésica.

Bom, eu tinha uma “programação mental” de não gostar de salada. Porque quando eu era adolescente, eu tive um problema odontológico, que mesmo depois de ter ido ao dentista, fiquei com sensibilidade a alimentos frios. (Sorvete não! Interessante minha programação né?). Então a partir dai, eu associei a salada com dor, fazendo com que eu não gostasse dela!

Pois bem, para “reprogramar” minha mente eu tinha que retirar esta programação antiga gravada na minha memória, e colocar uma nova. Mas como? Ainda não dá pra entrar no Modo de Segurança e alterar apenas algumas linhas do meu código.

Como eu sou VISUAL, o truque é imaginar uma tela mental branca e colocar uma imagem de um belo prato de salada, brilhante, iluminado, suculento, com cores vibrantes e muito apetitoso. Ao lado, um belo prato de picanha (sim, sou gaúcho), assada no ponto, com aquela capa de gordura derretendo por dentro da carne, com uma bela guarnição pra acompanhar.

Coloquei o prato de salada na parte superior direta desta tela, e mantive ele brilhante, saboroso, muito colorido, e com uma imagem grande. O prato de picanha deve ser colocado no canto inferior esquerdo, com uma imagem pequena, mal iluminada, escurecida mesmo quase preto e branco.

Depois disso associei as agradáveis sensações que tinha quando via um prato de picanha, ao prato de salada, agora bem iluminado e gostoso. E atribui ao prato de picanha a sensação de incômodo e dor que tinha pela salada antes.

Ilustrado fica melhor!

Colorido, satisfação, eu magro, brilhante, iluminado.
Colorido, satisfação, eu magro, brilhante, iluminado.
Gordura Crua e fria. Dor. Incômodo.
Gordura Crua e fria. Dor. Incômodo.

Me diga sinceramente, qual dos dois deu  vontade de comer??

Pois é, e assim pretendo emagrecer os quilos que me acompanham!

O mesmo serve para modificar outros hábitos improdutivos do seu dia a dia, como deixar pra fazer tudo na última hora (porque esta é a sua programação mental), ou ficar enrolando enquanto tem trabalho te esperando!

Pense no que você esta fazendo  que é ruim pra sua produtividade, e lembre de onde saiu este hábito. Vai ser o primeiro passo para mudá-lo.

Quem quiser ver a foto original da picanha, pra ver a sua boca salivar só olhando a foto, o link esta aqui.

Abraços,

Gérson.